Serasa Consumidor monta loja da fraude no meio do shopping Eldorado de São Paulo

0
1258

Com a intenção de alertar os consumidores sobre o perigo do vazamento de dados, a empresa criou uma estrutura para simular como é fácil comprar informações pessoais pela internet.


São Paulo, novembro de 2019  No Brasil é muito fácil encontrar quem possua seguro de vida, seguro automotivo e até mesmo seguro para celular. Todos esses cuidados já são práticas comuns, visto que esses seguros podem prevenir dores de cabeça e ajudar em momentos de grande complexidade. Porém, quantas pessoas você conhece que tem plena certeza de que seus dados estão seguros e que nenhuma fraude acontecerá a partir da venda e/ou vazamento de suas informações pessoais?

Para informar e alertar as pessoas sobre o perigo de fraudes online, o Serasa Consumidor, startup e braço da Serasa Experian, montou uma loja fictícia no shopping Eldorado, zona oeste de São Paulo. Disponível para visitação entre os dias 18 a 24 de novembro, a estrutura mostrará como funciona a venda e/ou o vazamento de dados pela internet, mais especificamente pela Dark Web, conhecida como a camada mais perigosa da internet.

Para entender a importância de prevenção à fraudes, o Serasa Consumidor fez um levantamento exclusivo com os números de vazamentos de alguns segmento monitorado pelo Serasa Antifraude na Dark Web:

– 26 milhões de e-mails;
– 166 milhões de números de telefone;
– 80 milhões de CPF;

O e-mail é uma das principais portas de entrada para os fraudadores. Quem nunca enviou um documento pessoal de forma online e/ou fez cadastro em sites para aproveitar a Black Friday, por exemplo? A internet está lotada de anúncios de grandes descontos e com facilidades, deixando boa parte das pessoas animadas e dispostas a comprarem o que estão sonhando há bastante tempo.
Porém esse sonho tem grande chance de virar pesadelo para alguns consumidores desavisados.  A Black Friday é um prato cheio para atuações de golpistas, já que representa um dos momentos de maior movimento do comércio brasileiro. É preciso ficar atento sobre a reputação do e-commerce escolhido.

A Loja.

Ao visitar a estrutura, o consumidor encontrará vitrines repletas de documentos, celulares e listas de e-mails como se estivessem à venda. Além disso, promotores estarão de prontidão para acessar a versão online da loja (lojadarkweb.com.br) e consultar se seu CPF, e-mail, passaporte ou celular foi vazado na Dark Web. Para os amantes dos descontos, quem visitar a loja receberá 30% de abatimento no valor do plano premium do Serasa Antifraude.

Exemplo digitalizado da estrutura que estará disponível a partir do dia 18 de novembro no shopping Eldorado, em São Paulo.

Campanha integrada com o digital.    

Além da loja, o Serasa Consumidor também divulgará vídeos especiais em suas redes sociais, com um hacker mascarado e atrapalhado tentando gravar um conteúdo de varejo “caseiro/pirata” para falar da Black Fraude na Loja da Dark Web.


Pesquisa e informações sobre DarkWeb

Ainda segundo pesquisa do Serasa Consumidor, apesar da procura sobre o assunto ter subido nos últimos tempos, 91% da população não faz ideia de como manter suas informações e documentos protegidos contra crimes dessa modalidade.

De acordo com Thiago Souza, gerente do Serasa Consumidor, levar informações sobre crimes digitais e dos impactos que eles causam, são de extrema importância atualmente: “O vazamento e/ou a venda de informações pessoais pela internet funcionam como porta de entrada para grandes complicações financeiras. Com CPF nas mãos de criminosos, é possível fazer compras que os consumidores só saberão quando o nome for negativado. No caso de telefone vazado, é possível que usem o número para enviar SMS falsos com vários tipos de golpes. É importante que o usuário saiba das consequências de não estar protegido e estamos aqui pra isso, ofertando mais essa solução para o consumidor”, afirma Thiago.

Atualmente, o Brasil é o 5º país com mais vazamentos de informações. Ladrões de identidade podem utilizar dados pessoais para abrir novas contas e realizar compras, apresentar declarações falsas de impostos, alugar ou comprar propriedades, roubar patrimônios e ainda fazer muitas outras ações criminosas. A pesquisa feita pelo Serasa Consumidor também indica quais as práticas adotadas pelos usuários para evitar vazamento de dados de forma digital: 63% dos ouvidos informaram que tomam cuidados frequentes. Os mais citados foram:

– 41% dizem usar e atualizar antivírus com frequência;
– 20% só navegam em sites confiáveis;
– 5% procuram ao máximo não expor nenhum dado na internet;
– 4% não salvam nenhuma senha, dados pessoais ou financeiros.

Tempo para agir.

O principal benefício do monitoramento é ter tempo de agir. No momento em que o vazamento é descoberto, o usuário terá a chance de tomar providencias rapidamente, acionando algumas medidas de segurança para se proteger:

– Acompanhar seu extrato bancário, ficando atento a transações desconhecidas;
– Evitar compartilhar dados pessoais por e-mail: nome, CPF e conta bancária;
– Substituir as senhas atuais por outras mais eficientes, exclusivas e seguras;
– Cancelar rapidamente cartões bancários, fazer um boletim de ocorrência e ativar o alerta de documentos no Serasa;
–  Atenção à e-mails de origem desconhecida;
– Evitar compartilhamento de dados pessoais por e-mail e/ou rede sociais;
– Desconfiar de ligações que solicitem a confirmação de dados pessoais.
– Fazer boletim de ocorrência avisando sobre a clonagem ou uso indevido do documento (CPF e Passaporte).


O que é darkweb?

Para entender o que é Dark Web, é preciso imaginar que a internet “tradicional” tem a forma de um iceberg. Na ponta visível deste iceberg está a surface, nome dado à internet usada diariamente. Já na parte submersa deste mesmo iceberg – muito maior que sua ponta e invisível aos olhos – está a Deep Web, repleta de conteúdos secretos, censurados e criptografados. É nessa cama

           
AGENDA

Ação: Black Fraude na Loja da Dark Werb.
Data: 18 a 24 de novembro.
Endereço: Shopping Eldorado – Av. Rebouças, 3970 – Pinheiros, São Paulo – SP